Consulta Pré-Natal do Parceiro é incluída nos procedimentos do SUS

O programa de Pré-Natal do homem foi normatizado pelo Ministério da Saúde em 2011 para prevenir doenças e combater desigualdade, estimulando a paternidade ativa e cuidadora antes, durante e depois do nascimento. Inclui a avaliação do estado geral de saúde do pai/parceiro, devendo ser solicitado os exames de rotina de acordo com os protocolos estabelecidos pelo Ministério da Saúde, testes rápidos, atualização do cartão de vacinas (conforme calendário nacional de vacinação), orientações sobre a gravidez, parto, pós-parto, amamentação e direitos do pai/parceiro. Pré-Natal do Parceiro é uma ferramenta inovadora que busca contextualizar a importância do envolvimento consciente e ativo de homens adolescentes, jovens adultos e idosos em todas as ações voltadas ao planejamento reprodutivo e, ao mesmo tempo, contribuir para a ampliação e a melhoria do acesso e acolhimento desta população aos serviços de saúde, com enfoque na Atenção Básica. A gravidez também é um assunto de homem e estimular a participação do pai/parceiro durante todo esse processo pode ser fundamental para o bem estar biopsicossocial da mãe, do bebê e dele próprio, sendo o pré-natal o momento oportuno e propício para isso!

Fonte:

http://portalarquivos2.saude.gov.br/images/pdf/2016/agosto/11/guia_PreNatal.pdf

04 de janeiro Dia Mundial do Braille

A data é o dia do nascimento de Loius Braille, o criador do sistema de leitura e de escrita Braille, que permite através do toque facilitar a vida das pessoas invisuais e a sua integração na sociedade. Louis Braille ficou cegou aos três anos de idade e aos 20 anos conseguiu formar um alfabeto com diferentes combinações de 1 a 6 pontos que se alastrou pelo mundo e que ainda hoje é usado como forma oficial de escrita e de leitura das pessoas cegas.

No Brasil, a Agência Internacional de Prevenção de Cegueira, ligada à Organização Mundial de Saúde, estima que 33 mil crianças são cegas por doenças oculares que poderiam ter sido evitadas ou tratadas precocemente e que pelo menos 100 mil têm alguma deficiência visual. A diversidade regional brasileira e os diferentes níveis de desenvolvimento sócio econômico sugerem a estimativa de um valor médio de prevalência de cegueira infantil para o Brasil entre 0,5 e 0,6 por mil crianças.

A prevenção com teste do reflexo vermelho

O teste do reflexo vermelho, também chamado de Teste do Olhinho, deve ser realizado ainda na maternidade em todos os recém-nascidos. É um teste de realização simples, capaz de identificar crianças com alteração do reflexo de luz no fundo de olho, permitindo detectar precocemente casos de catarata, glaucoma congênito, má formação oculares ou ainda qualquer doença ocular congênita que cause opacidades de córnea, tumores intra-oculares grandes, inflamações intra-oculares importantes ou hemorragias vítreas. Alguns estados e cidades brasileiros já têm legislação que exige a realização do Teste do Olhinho em todos os recém-nascidos, antes de sua alta. A Agência Nacional de Saúde Suplementar também incluiu o Teste do Olhinho nos procedimentos com cobertura obrigatória pelas operadoras de planos de saúde. São vitórias importantes para a saúde pública, mas ainda há muito a ser feito para garantir a saúde ocular de nossas crianças.

Os recém-nascidos nos quais forem identificadas quaisquer alterações do reflexo vermelho devem ser encaminhados para avaliação de um oftalmologista.

Fonte: http://uniaodoscegosnobrasil.org.br/

Pai também é protagonista

Sabemos da importância da mulher se cuidar antes e durante a gestação. Mas as pesquisas revelam a importância do homem planejar a gestação e adotar hábitos de vida saudáveis para melhorar a fertilidade e o material genético.

Um estudo brasileiro realizado na USP, observou que a alimentação paterna pode influenciar o desenvolvimento de câncer de mama nas filhas. Outra pesquisa publicada no periódico Fertility  and Sterility, avaliou padrões alimentares de 129 jovens e observou que a dieta saudável, de acordo com parâmetros estabelecidos pelos pesquisadores, a qualidade do sêmen se mostrava superior.

Portanto assim como a mulher, o homem deve rever seus hábitos alimentares ainda na fase de planejamento da gestação.

Apostar em um cardápio rico em hortaliças, frutas, grãos, cereais, pescados é a melhor pedida segundo as evidências científicas.

Fonte:

 http://jornal.usp.br/ciencias/ciencias-da-saude/gordura-animal-na-dieta-do-pai-aumenta-risco-de-cancer-nas-filhas/

http://www.fertstert.org/article/S0015-0282(99)00551-8/fulltext

 

92% das mães relataram problemas nos primeiros dias da amamentação.

Uma pesquisa realizada nos Estados Unidos mostrou que 92% das mães relataram problemas nos primeiros dias da amamentação. Elas tiveram dor, mamilos doloridos, não conseguiam fazer o bebê sugar e se preocuparam se estavam produzindo leite suficiente.

Brooke Scelza, uma antropóloga da Universidade de Los Angeles (EUA), teve dificuldades em amamentar seu filho e quis pesquisar outras culturas onde as mães são conhecidas pelo sucesso na amamentação: Himba, um deserto no norte da Namíbia. Ali vive um grupo étnico isolado das cidades modernas, as mães ainda têm seus filhos em casa, e todas amamentam. As mães da região fazem a amamentação parecer coisa fácil. Elas carregam os bebês nas costas e quando eles choram, o pegam, alimentam, e devolvem às costas, diz a pesquisadora.
Scelza e sua equipe pensaram em várias hipóteses para explicar esta facilidade das mães da Namíbia em amamentar, as mães do vilarejo ficam com os filhos nos braços assim que eles nascem, sem nenhum tipo de restrição.

Scelza entrevistou 30 mulheres do grupo para entender melhor suas experiências com a amamentação, especialmente nos primeiros dias depois do nascimento. Sua descoberta é que 60% delas passam pelas mesmas dúvidas e desconfortos que as mães ocidentais, mas que recebem informações preciosas de suas próprias mães.

“Quando as mulheres esperam pelo bebê, elas costumam ir para a casa das mães ainda no terceiro trimestre da gestação, e ficam ali por meses depois do nascimento”, explica ela. A avó da criança mostra tudo que a mãe de primeira viagem precisa saber para cuidar do recém-nascido.

“Suas mães geralmente dormem com elas na cabana a partir do nascimento, e acordam a nova mãe dizendo: ‘está na hora de alimentar seu bebê!’”, conta a pesquisadora.

A hipótese mais provável deste estudo de observação é que não há instinto natural e simples de entrar em ação, mas sim a presença de uma professora 24 horas por dia, todos os dias.

A antropóloga Meredith Small, no livro Our babies, ourselves: how biology and culture shape the way we parent, refere que se o bebê é retirado dos braços da mãe nas primeiras horas de vida, o processo todo pode ser prejudicado.
Após nascimento do bebê, manter em contato pele a pele e estimular aleitamento materno é fundamental para o sucesso da amamentação.
Este estudo revela o quanto é importante apoio da família,  amigos, companheiro, profissionais da Saúde  para as mães se sentirem seguras e confiantes.
Fonte:

A chave está na educação: Aprender como prevenir acidentes em casa e desenvolver comportamentos de segurança.

A segurança dentro de casa tem sido objeto de muitas pesquisas no mundo. Uma revisão sistemática da Cochrane procurou sintetizar as conclusões dessas pesquisas para mostrar quais medidas de segurança são mais eficazes para prevenir os acidentes domésticos. Esse resumo acaba de ser traduzido para o português pela equipe do Centro Cochrane do Brasil, e mostra que a chave está na educação: é benéfico educar os residentes de uma casa pessoalmente sobre como evitar risco de acidentes em casa e desenvolver comportamentos de segurança. Isso inclui, por exemplo, ter os telefones de centros de intoxicação ou socorro facilmente acessíveis, colocar grades nas escadas para prevenir quedas, protetores nas tomadas e dificultar o o acesso das crianças à remédios e produtos de limpeza.  Aumentar a consciência das pessoas sobre a importância de prevenir os acidentes domésticos e manter a casa segura.Educação para segurança doméstica e fornecimento de equipamentos de segurança para prevenção de lesões

A importância da Shantala para auxiliar no desenvolvimento saudável do bebê

Frederick Leboyer, médico obstetra francês que trouxe a técnica da massagem para o ocidente em 1970, conta que em Calcutá a mais abandonada de todas as cidades da Índia, numa bela manhã de sol, encontrou Shantala, sentada no chão, massageando seu bebê. A massagem parecia um ritual, lento e harmônico e com toque firme.  O nome Shantala, é em homenagem a mãe que estava massageando seu filho. O médico pediu permissão para fotografar os passos da massagem e publicou em seu livro.

O ideal é realizar diariamente, após o primeiro mês de vida, antes do banho, a massagem no bebê com óleo vegetal aquecido, o tempo da massagem varia em torno de 20 a 30 minutos. É muito importante que o ambiente esteja aquecido, tranquilo e que a mãe tenha tempo para curtir esse momento com o bebê sem cuidar o relógio. O olho no olho e a interação entre os dois são fundamentais para o bebê. A técnica da massagem tem como princípio a circulação energética, o carinho, tato e o brincar. Auxilia a Prevenir cólicas e agitação do bebê além de serem ideais para transmitir segurança e confiança, sentimentos que serão guardados nas suas lembranças e irá influenciar suas relações com o mundo. Quem recebe amor, aprende a retribuir com amor, se tornando adultos equilibrados e tranquilos. A massagem de origem indiana e milenar é a comemoração da vida e do amor, é uma forma de a mãe transmitir ao seu filho a segurança do ventre e nutrir este ser para desenvolver-se saudavelmente seu corpo físico, mental e emocional. O toque na pele é a primeira comunicação com o mundo. As mães na Índia acreditam que para o bebê, ser acariciado, massageado, amado, é tão importante quanto ser amamentado. Esse aprendizado é passado de mãe para filha.

Benefícios da Shantala para o bebê:

– Fortalece o sistema imunológico;

– Alivia tensões e ansiedade;

– Desenvolvimento motor e emocional;

– Reforço do vínculo e da segurança;

– Ajuda no crescimento de relações saudáveis;

-Promove sono tranquilo e alívio das cólicas;

– Aumenta a percepção corporal, relaxamento e prazer.

Benefícios para quem aplica a Shantala:

– Estabelece vínculo;

– Desenvolvimento de habilidades para tocar no bebê;

– Promove conhecimento do corpo do bebê;

– Aprende comunicação de sentimentos pelo toque;

– Atua favoravelmente no combate às cólicas do bebê;

– Entra no clima da massagem e diminui seu estresse.

Referencial Bibliográfico:

Leboyer, Frederick. Shantala massagem para bebês: Arte tradicional. Tradução de Luiz Roberto Benati e Maria Silva Cintra Martins. São Paulo: Ground, 1995.

Veríssimo, Manuela; Bárcia, Sônia. A importância da massagem do bebé para as atitudes face à maternidade. Rev. Psicologia, Saúde & Doenças v.11 n.2 Lisboa: 2010. Disponível em: <http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1645-00862010000200008> Acessado em 10 de setembro de 2017.

My cat is the coolest! (1) Continuar lendo

Consultoria em Aleitamento Materno

A chegada do bebê é um momento mágico de transformação e muito amor. A amamentação é o alimento recomendado desde o nascimento até os 6 meses de vida do bebê.
Com o início da amamentação, podem surgir alguns probleminhas! É muito importante solicitar a visita da consultora em aleitamento o quanto antes e resolver qualquer dificuldade para que o momento da amamentação seja total conexão da mãe com o bebê.
Entre em contato: (51) 9 8405-6323
Michele Ferreira
Enfermeira Neonatal
Coren RS 156370
Consultora em Aleitamento Materno

Curso de qualificação para babá

Curso presencial, individualizado para cada família e seu contexto. Com objetivo de contribuir com as famílias que optam em contratar babás para que esta profissional possa ter qualificação técnica para o cuidado.
Solicite mais informações pelo tel: (51)9 8405-6323 ou e-mail: aconchegoblog@gmail.com

Temos na modalidade online, com a possibilidade de esclarecer dúvidas por skype ou e-mail. Link para o curso online: https://goo.gl/kS4w82

Curso se preparando para o parto

Curso destinado ao casal que deseja informações sobre a gestação, trabalho de parto e parto. Com objetivo do parto seguro e adequado para cada mulher, com enfoque no parto humanizado, respeitando as escolhas da gestante e informações conforme recomendações do Ministério da Saúde.
Entre em contato para agendar o curso pelo telefone: (51)9 8405-6323