O sling é o carregador seguro

Uma pesquisa realizada no Canadá e publicada na revista médica Pediatrics, descobriu que o uso de sling por três horas por dia reduziu o choro do bebê em 43% no geral e em 54% durante a noite. O choro do bebê causa liberação de hormônios do estresse em bebês e adultos. Assim, menos choro significa menos estresse e ansiedade tanto para o bebê quanto para os pais.

O sling promove o desenvolvimento físico do bebê. O posicionamento vertical de uma criança carregada promove a força do pescoço e o controle da cabeça. O posicionamento plano dos assentos e berços não promove esse desenvolvimento físico. O movimento constante de carregar não é apenas calmante para o bebê, mas também promove o equilíbrio e o desenvolvimento da orelha interna.

Sling melhora a produção de leite materno e amamentação. O contato físico com a criança faz com que as mães liberem um hormônio chamado ocitocina. A ocitocina promove a descida do leite materno. Muitas mulheres também são capazes de amamentar o bebê no sling, permitindo um fácil manuseio sem as mãos, o que é especialmente útil para mães com mais de um filho.

O sling promove o desenvolvimento neurocomportamental e fala. Os bebês carregados têm uma visão do mundo em constante mudança. Eles estão expostos a vozes variadas, emoções e expressões faciais, o que é crucial para o desenvolvimento neurocomportamental. Os bebês carregados geralmente ouvem mais linguagem. Quanto mais palavras um bebê ouvir, mais palavras ele dirá quando criança.

O sling melhora ligação materno-infantil e apego pela produção de ocitocina. O forte vínculo materno-infantil promove melhores cuidados ao bebê e diminui a incidência de depressão pós-parto.

O Sling ajuda a se exercitar! Carregar o bebê durante o dia é um excelente treino para os pais, e uma ótima maneira de entrar em forma depois da gravidez. Com o bebê amarrado a você, cada passo dado pela casa ajuda a exercitar as pernas, as costas e o abdômen. À medida que o bebê ganha peso, a intensidade do treino aumenta lentamente.

Previne a Plagiocefalia é o termo médico para uma assimetria no crânio dos bebês além da habitual, geralmente provocada pela posição constante em que a criança é colocada para dormir ou fica a maior parte do tempo. A cabeça acaba ficando com um formato ovalado para um dos lados.

Referência:

https://childrensmd.org/browse-by-age-group/newborn-infants/should-you-wear-a-baby-sling/

Técnica de Translactação e relactação

É indicado em caso de prematuridade, diminuição da produção do leite materno e uma das grandes vantagens é que não interfere na amamentação, já que o bebê, ao sugar o seio, recebe o leite através do sistema com a sonda, ao mesmo tempo estimula a musculatura necessária para sugar o seio materno e a produção do leite materno.

O ideal que seja leite materno ordenhado para fazer a técnica e que a mãe tenha acompanhamento e orientações de profissional especializado em amamentação.

Abraço.

 

A Shantala auxilia no relaxamento e no sono do bebê.

Frederick Leboyer, médico obstetra francês que trouxe a técnica da massagem para o ocidente em 1970, conta que em Calcutá a mais abandonada de todas as cidades da Índia, numa bela manhã de sol, encontrou Shantala, sentada no chão, massageando seu bebê. A massagem parecia um ritual, lento e harmônico e com toque firme.  O nome Shantala, é em homenagem a mãe que estava massageando seu filho. O médico pediu permissão para fotografar os passos da massagem e publicou em seu livro.

É indicada para bebês a partir de um mês de vida, auxilia a criança a relaxar, eliminar tensões, bloqueios e insônia. Proporciona segurança e eleva auto-estima, equilibrando os sistemas energético e emocional. Também atua em disfunções orgânicas como cólica e prisão de ventre, entre outros benefícios (Nardo et al, 2014). A Shantala é uma terapia complementar simples, acessível, de baixíssimo custo para promoção e atenção em saúde, fortalecendo o vínculo mãe – bebê. Técnica inserida na Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares Portaria nº 971/GM/MS, de 03 de maio de 2006, a partir das Portarias: Portaria 145, de 11 de janeiro de 2017/MS e Portaria 849, de27 de março de 2017/MS.

O ideal é realizar diariamente, após o primeiro mês de vida, antes do banho, a massagem no bebê com óleo vegetal, o tempo da massagem varia em torno de 20 a 30 minutos. É muito importante que o ambiente esteja aquecido, tranquilo e que a mãe tenha tempo para curtir esse momento com o bebê sem cuidar o relógio. O olho no olho e a interação entre os dois são fundamentais para o bebê. A técnica da massagem tem como princípio a circulação energética, o carinho, tato e o brincar. Alivia a cólicas e a agitação do bebê além de serem ideais para transmitir segurança e confiança, sentimentos que serão guardados nas suas lembranças e irá influenciar suas relações com o mundo. Quem recebe amor, aprende a retribuir com amor, se tornando adultos equilibrados e tranquilos. A massagem de origem indiana e milenar é a comemoração da vida e do amor, é uma forma da mãe transmitir ao seu filho a segurança do ventre e nutrir este ser para desenvolver-se saudavelmente seu corpo físico, mental e emocional. O toque na pele é a primeira comunicação com o mundo. As mães na Índia acreditam que para o bebê, ser acariciado, massageado, amado, é tão importante quanto ser amamentado. Esse aprendizado é passado de mãe para filho (a).

Benefícios da Shantala para o bebê:

– Fortalece o sistema imunológico;

– Alivia tensões e ansiedade;

– Desenvolvimento motor e emocional;

– Reforço do vínculo e da segurança;

– Ajuda no crescimento de relações saudáveis;

-Promove sono tranquilo e alívio das cólicas;

– Aumenta a percepção corporal, relaxamento e prazer.

Abraço,

Enf. Michele Ferreira

Consultoria na amamentação e sono do bebê

 

Dores e lesões mamilares durante a amamentação

A incidência de dor mamilar e lesões mamilares variam de 34% a 96% em mulheres que amamentam. O mau posicionamento e pega incorreta do bebê no seio é um dos motivos para esta complicação. Em estudos feitos para avaliar o uso de cremes, pomadas, óleos para redução da dor, não houve melhora suficiente para recomendar o uso destes produtos para tratamento de dor nos mamilos.

 

Qualquer ruptura na pele do mamilo, pode levar a predisposição de infecções fúngicas e bacterianas. Adotar algumas medidas como: Manter a região dos seios arejada, com proteção de coxins de tecido, higienizar os seios com o próprio leite materno podem prevenir a infecção e ajudar a cicatrizar as lesões.

 

Geralmente após 7 a 10 dias após o parto, a dor diminui e com a correção da posição e a pega do bebê as lesões vão cicatrizar.

 

Qualquer dúvida ou dificuldade com a amamentação, entre em contato.

 

Abraço,

 

Michele Ferreira

 

Enfermeira Neonatal/ Consultoria em Amamentação e sono do bebê

 

Coren RS 156370

 

Como criar um leitor?

As crianças não nascem leitores. Criam o hábito a partir da oportunidade de brincar com os livros, enquanto não são alfabetizadas. E aprendem, na convivência com os pais, que leem as histórias para que possam mergulhar nas aventuras dos super-heróis, criando suas próprias fantasias.

O ato de ler com o filho cria laços muito especiais entre ambas as partes. E quando a criança vai para a escola é importante que os educadores incentivem a leitura, porque eles também são responsáveis por criarem leitores.

Os benefícios são inúmeros e para a vida toda. Além de escrever melhor, amplia o vocabulário, estimula a memória, a criatividade e o senso crítico. Desenvolve a habilidade de escuta e ajuda a relacionar-se melhor com as pessoas, além de ser um momento de diversão e prazer para ela.

Hoje em dia, parece que o interesse pela leitura tem aumentado por parte das crianças. As editoras de livros infantis não só aumentaram a quantidade de produtos como também melhoraram sua qualidade.

Como criar o hábito da leitura?

Especialistas indicam que mesmo antes de iniciar o processo de alfabetização, os pais devem procurar saber quais as histórias que agradam as crianças ? E ter o hábito de ler para elas – ter livros de plástico para a hora do banho, livros para pintar, perguntar sobre a história e o que ela gostou para estimular a interpretação e a memória.

Comece com livros mais ilustrativos e tenha livros à disposição, assim como brinquedos.

Paulo Freire afirmava que “não é o discurso que ajuíza a prática, mas a prática que ajuíza o discurso”. Portanto, um dos principais estímulos é ler para seus filhos. A leitura é tão importante, que “receitar livros” se tornou uma recomendação médica no exterior e no Brasil.

Estudos científicos comprovam que ler para as crianças em voz alta, ativa regiões do lado esquerdo do cérebro associadas, entre outras coisas, à compreensão narrativa. A pesquisa quantificou, por meio de ressonância magnética funcional, os efeitos da leitura sobre a atividade cerebral de 19 crianças de 3 a 5 anos de idade. Crianças cujos pais reportaram ler mais para seus filhos e ter mais livros em casa, apresentaram uma ativação significativamente maior de áreas do hemisfério esquerdo do cérebro. Estimular o hábito da leitura cria condições para que as crianças tenham um desenvolvimento saudável, tornando–se pessoas criativas e críticas.

Dia Mundial da conscientização do Autismo

Dia 02 de abril é considerado pela ONU como o dia Mundial da Conscientização do Autismo. No Brasil são cerca de 2 milhões de autistas e desses, 95% estão completamente desassistidos, o diagnóstico nem sempre é fácil e a falta de profissionais, escolas e sociedade preparados para lidar com o transtorno, podem ser uma barreira para as famílias.

O tratamento adequado pressupõe o acompanhamento de uma equipe multidisciplinar, acompanhamento da família e inclusão social. As crianças aprendem por imitação e observação dos adultos, nas crianças com autismo isso fica comprometido, pois a ausência do contato visual e a observação do outro fica prejudicado, ocasionando a dificuldade de lidar com as emoções e um simples “não” pode desencadear crises como choros e agressões. Isso exige dos pais ajudá-los a entender as emoções e a tolerá-las.

O movimento pela inclusão social e a valorização da diversidade ganha força no amparo das leis e na publicidade que conscientiza de que todas as crianças têm o mesmo direito básico de amor, acolhimento, escolas e meios de superar as dificuldades.

Abraço!

Michele Ferreira

 

Canções de ninar acalmam a mãe e o bebê.

A música pode ter um papel  fundamental  no desenvolvimento dos bebês. Segundo um estudo da Universidade de Toronto Mississauga, canções de ninar acalmam mães e bebês simultaneamente.

Durante a pesquisa, as mães cantaram “Brilha, Brilha, Estrelinha” olhando diretamente para seus bebês e variavam entre tons para acalmar e animar a criança.

Ao analisar o comportamento de ambos, concluiu-se que ao entoar as canções em volume baixo e mais lentamente, mães e bebês se acalmavam.

No decorrer da história temos filósofos, médicos e educadores estudando os efeitos sedativos e curativos da música, principalmente na primeira infância. Os bebês são ouvintes muito sofisticados, o canto dirigido ao bebê é considerado importante no desenvolvimento infantil porque influencia na comunicação e interação dos bebês e seus responsáveis.

O uso da música e do canto tem beneficiado bebês prematuros e sob risco de vida. Música nas incubadoras dos bebês prematuros têm auxiliado na estabilização dos níveis de saturação de oxigênio, na redução de perda de peso, na redução de estresse e na redução de dias de hospitalização.

Mamães e papais cantem para seus bebês, pois eles entendem de música.

O Sling é recomendado por sua Segurança, praticidade e conforto.

O Sling está fazendo a cabeça da mulher moderna que concilia o papel de mãe com as inúmeras atividades do dia a dia. Os benefícios no uso do sling são inúmeros como fortalecer o vínculo entre os pais e os filhos, mas ainda muitas mães e pais desconhecem o sling ou têm dúvidas a respeito da sua utilização.

Quais são os tipos de carregadores?

Existem alguns modelos de carregadores os mais comuns são: Sling de argola, Pouch sling, Mei tai e o wrap sling que é confeccionado em tecido 100% algodão, com cinco metros de comprimento e 60 centímetros de largura, o Sling é uma forma milenar de transportar o bebê a partir do primeiro mês de vida até os dois anos. A mamãe ou papai ficam com as mãos livres e o filho coladinho ao corpo, bem tranquilo.

O canguru é um sling?

Não é considerado sling e não é indicado para carregar o bebê, pois as perninhas ficam penduradas o que acaba não sendo ergonômico e forçando a articulação do quadril.

O sling é seguro?

 Muito seguro, recomendado para carregar crianças até 20 kg.

O sling é confortável?

É confortável para as costas de quem usa, pois, as tiras são largas o que facilita a distribuição do peso entre os ombros. E para a criança que fica em posição fisiológica.

É muito complicado amarrar o sling?

Não. Na primeira vez que você for amarrar, é importante receber orientações da pessoa que vendeu o sling, ter o manual de instruções ou assistir um vídeo com a amarração. A partir da segunda vez que amarra, já está mais segura.

O bebê não gosta do sling?

O bebê prefere ficar juntinho do corpo da mãe e do pai, o que pode acontecer é que por ser novidade, nas primeiras vezes, alguns bebês começam a chorar. Quando isso acontecer, comece a fazer um balanço com o corpo, caminhe para que o bebê se sinta bem.

O pai pode usar?

Deve! Terá a oportunidade de ficar juntinho do seu bebê, acariciar e interagir de forma mais próxima e amorosa.

Qual a melhor posição para carregar o bebê?

A posição ideal é manter o bebê de frente para a mãe ou o pai, com contato entre a barriga do bebê e do cuidador, na altura de um beijo e com os joelhos flexionados, como se estivesse sentado.

Após os 6 meses de vida, pode virar o bebê para o movimento. Sempre atentos para a posição do bebê no sling com os joelhos fletidos.

 

5 Motivos que podem dificultar a amamentação.

O início da amamentação pode não ser algo fácil para algumas mães e é importante o apoio da família,  amigos, companheiro, profissionais da Saúde  para que as mães se sintam seguras e confiantes de que seu leite é o melhor alimento para seu filho e que a natureza se encarrega de produzir.

Alguns motivos que podem prejudicar a amamentação são:

  • A falta de orientações e informações durante a gestação;
  • Não ter o apoio do companheiro e da família;
  • Excesso de visita e a falta de descanso;
  • Beber pouca água;
  • Ter fissuras e dor nas mamas.

Procurar informar-se durante a gestação sobre a amamentação vai proporcionar a segurança necessária para iniciar a amamentação assim que o bebê nascer. Na presença de qualquer dificuldade, é necessário uma avaliação com profissionais qualificados para auxiliar na amamentação.

Michele Ferreira

Enfermeira- Assessoria em amamentação

(51) 9 8405-6323

Como amamentar gêmeos?

A melhor posição para amamentar é a que a mãe e o bebê estejam confortáveis. Se forem gêmeos, no início pode ser difícil, assim como também pode ser para mães com um filho. Fique calma, saiba que a natureza se encarrega de produzir leite para dois. Algumas mães preferem amamentar os dois ao mesmo tempo, para estimular a produção de leite e economizar tempo, facilitando a rotina.

O desafio é acomodar os bebês em uma posição confortável e a posição invertida pode ser indicada, pois o corpo e as pernas dos bebês ficam debaixo dos braços da mãe, coloque a almofada ou travesseiro para apoiar os bebês. Se no início for difícil, amamente um de cada vez e com o tempo você consegue amamentar os dois juntinhos.

Aproveitem o período da gestação para obter informações sobre os cuidados com o bebê, amamentação, prevenção de acidentes e primeiros socorros. Dia 17 de março teremos o curso preparando o ninho para a chegada do bebê.

Informe-se pelo Tel. (51) 9 8405-6323 ou e-mail: aconchegoblog@gmail.com

Abraço.